O Seu “Sobre” Não é Sobre Você (ou não deveria ser)

Qual o propósito da página “Sobre” de seu site? Deve ser sobre você, sua empresa e seu produto, certo? Errado.

O seu leitor não está interessado em seus atributos, ou o quanto você é bom nisto ou naquilo. Mais do que isso, ele quer saber “o que tem ali para ele”. Conheça algumas regras e exceções para a escrita desta parte tão importante do seu website.

 

Regra Geral #1: escreva para um leitor específico

O primeiro passo para você começar a escrever o seu sobre é pensar para quem você está escrevendo o seu site ou blog. Quando tentamos falar para muitas pessoas, acabamos falando sozinhos.

Se você quer conquistar seu leitor, não o trate como multidão. Faça-o sentir-se especial. Escreva sobre o que o seu leitor está interessado. Pense não só no que ele precisa saber de você, mas principalmente o que ele quer de verdade quando visita o seu site.

 

Regra Geral #2: foque nos benefícios

Pergunte-se “como o meu site ou blog pode ajudar o meu visitante alvo?”. Tudo o que não ajudá-lo, não serve.

O seu prospect está interessado em como os seus atributos e experiência podem ajudá-lo a ser mais feliz, a ter mais dinheiro, a ser mais produtivo. Ou ainda como você vai ajudá-lo a resolver um problema específico. Então conte como você pode resolver os problemas. Foque nos benefícios que você pode oferecer.

Bons vendedores e comunicadores tem algo em comum: eles falam menos deles próprios e falam mais sobre o que seus clientes e ouvintes querem saber ou precisam ouvir. Não importa o que você faz, mas sim o porque faz.

 

Em artigo do copyblogger “Why It’s Not About You (except When It is)“, Pace Smith cita três exceções à regra do “nunca fale sobre você mesmo”: 1. Conexão, 2. Autoridade, 3. Histórias pessoais. Confira abaixo, no texto adaptado por mim.

 

Exceção #1: Conexão

Tudo bem falar sobre si mesmo se você está estabelecendo rapport com seus leitores (rapport significa estabelecer conexão, empatia). Por exemplo, você fala sobre um hobby seu ocasionalmente de modo que o leitor enxergue uma pessoa atrás do empreendedor. Isso cria empatia.

 

Exceção #2: Autoridade

Tudo bem falar sobre si mesmo se você está ajudando seus leitores a se sentirem mais seguros com relação aos seus serviços ou produtos. Por exemplo, se você diz que ajudou um cliente a resolver um problema e conta como fez. Essa informação pode ajudar o leitor a sentir-se mais seguro numa futura contratação.

 

Exceção #3: Histórias Pessoais

Tudo bem falar sobre si mesmo se você está compartilhando uma história pessoal que tenha a ver com sua proposta no site. Com um porém: ela deve ser relevante no contexto. Histórias criam conexão emocional.

 

E você? Tem alguma regra ou exceção para acrescentar? Compartilhe aqui nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *